O projeto Cinema no Brejo - Laboratório Rural de Formação e Experimentação Audiovisual surge em 2018 com o desejo de experimentar a prática do cinema como forma de potencializar a relação entre jovens estudantes de pequenas localidades rurais do Maciço de Baturité, no interior do Ceará, com as histórias, memórias, saberes e fazeres que habitam o imaginário e o cotidiano de seus territórios.

Com o apoio do programa Itaú Rumos (edição 2018/2019) em sua primeira edição, o laboratório rural se constituiu como um lugar de encontro e descoberta onde, por meio de oficinas, vivências interdisciplinares e sessões itinerantes abertas às comunidades, o cinema foi exercitado como possibilidade de criação e de relação com o espaço.

Nesse momento, nosso percurso formativo foi dividido em três ciclos: Ciclo Brincar; Ciclo Trabalho e Ciclo Terra. Em cada ciclo tivemos a presença de convidados(as), como artesãos(ãs), produtores(as) rurais, cineastas e artistas, promovendo, dessa forma, um intercâmbio de saberes pautado pela aproximação com os fazeres locais. Os processos de criação vivenciados ao longo da formação resultaram na realização de quatro curtas-metragens, na exposição itinerante É tempo de colheita e em uma publicação que reúne textos, fotografias, desenhos, mapas e exercícios produzidos pelos(as) alunos(as) nos encontros.

Nesse sentido, acreditamos na descentralização do ensino e do fazer audiovisual através de uma aposta no contato e na aproximação com o cinema que se faz como prática do cotidiano, como forma de escutar e narrar as próprias histórias e como forma de dar a ver o pertencimento a um território e ao emaranhado de valores que o constitui.