Cine Brejo –  Brejo Uirapuru – 2 de novembro 2018

 

“Sessão Labirinto” (CE), 2015, Produção coletiva

Moradores do Brejo Uirapuru falam sobre as memórias presentes em fotos antigas.

“Iguatu, te escrevo essa carta” (CE), 2015, Produção coletiva

Iguatu, eu te escrevo essa carta, foi uma oficina da V Mostra de cinema de Iguatu, teve o objetivo de construir um mapa afetivo das pessoas e suas conexões.

“Sweet Karolynne” (PB), 2009, Ana Bárbara Ramos

Nem Elvis nem Jarbas morreram. É tudo uma grande invenção.

 

Cine Brejo – Brejo Uirapuru, CE – No campo de futebol – 10 de novembro de 2018

 

“Mauro em Caiena” (CE), 2012, Leonardo Mouramateus

Admiro pra caramba essa capacidade, Mauro. De se transformar em outra coisa. Como um dinossauro ou uma lembrança.

 

“Aurora de Fuji” (CE), 2014, Rafael de Jesus

Alydiah caça um dos generais de Irk a fim de impedir os seus propósitos para a energia emanada do evento chamado Aurora de Fuji.

 

Cine Brejo – Brejo Uirapuru, CE – 16 de novembro de 2018

“Além da rua” (CE), 2011, Natália Viana

Após pegar escondido uma câmera fotográfica de seu pai, Leo e seus amigos brincam, vivenciando os espaços de Otávio Bonfim, bairro de classe média baixa de Fortaleza, onde mora, passeando pelos lugares por ele já conhecidos e descobrindo outros.

 

“Epifânio” (CE), 2012, Gláucia Barbosa

O amor é um cabra tão malvado. A gente espera que o amor seja bom até o fim.

 

Cine Brejo – Brejo Uirapuru, CE  – 18 de janeiro 2019

 

“As Canções” (RJ), 2011, de Eduardo Coutinho

O cenário é simples: uma cadeira preta posicionada à frente de uma solene cortina. Ali, cidadãos comuns recorrem ao âmago de suas memórias lembrando e entoando canções que marcaram momentos importantes em suas vidas. Ao contarem suas histórias e cantarem suas melodias, os olhos marejam, a boca exibe sorrisos largos, e o coração se preenche de nostalgia.

 

Cine Brejo – Sessão de Curtas Infantis – Brejo Uirapuru, CE – 22 de fevereiro de 2019

 

Pode me chamar de Nadí (CE), 2009, de Déo Cardoso

Complexada por seus cabelos crespos, Nadí não tira seu boné por nada! Sabendo dessa fraqueza, dois colegas tomam o boné de Nadí e correm. Nadi enfrenta a todos para recuperar seu boné.

 

A Língua das Coisas (RJ), 2010, de Alan Minas

Lucas vive com seu avô em um sítio distante. Eles não sabem ler nem escrever. O avô só sabe a língua do rio, dos bichos e das plantas. Um dia, a mãe de Lucas vem buscá-lo para morar na cidade, mas a língua da escola não entra na sua cabeça.

 

O fim do recreio (PR), 2012, de Nélio Spréa e Vinicius Mazzon

No Congresso Nacional, um projeto de lei pretende acabar com o recreio escolar. Ao mesmo tempo, em uma escola de Curitiba, um grupo de crianças pode mudar toda essa história.

 

A menina espantalho (DF), 2009, de Cássio Pereira Dos Santos

Luzia mora no campo com seus pais e o irmão, Pedro. Quando Pedro começa a ir à escola, Luzia quer acompanhá-lo, mas é impedida pelo pai. Enquanto vigia um arrozal, ela busca outros caminhos para aprender a ler.